amor

Encontro de cinema

 

large (1)

Eu gostaria muito de ir a um encontro igual ao que vemos nos filmes quando vamos ao cinema. Sabe quando o garoto, depois de esbarrar por várias vezes, trocar olhares nos corredores do colégio, respira fundo e encontra coragem para chamar a garota para sair?

Então no horário combinado ele a busca em casa, aperta a campainha e quando ela abre a porta, fogem todas as frases prontas que ele passou a tarde toda decorando e repetiu por várias vezes durante o trajeto.

Mesmo assim, ele deixa claro que ela é a garota mais linda do mundo e sem querer deixa escapar um sorriso, aquele que nós costumamos a chamar de bobo. O primeiro dos incontáveis da noite.

Eles vão para um restaurante, nada de cinco ou seis estrelas. Uma decoração simples, velas na mesa e vinho para começar. A garota acaba rindo, não por reparar que o terno que ele está usando está um pouco grande e tem grandes chances de ser do seu primo mais velho, ou porque ele já derrubou os talheres no chão e quase quebrou as taças, mas porque ele não precisava de tanto para chamar sua atenção. Ela já está apaixonada bem antes do primeiro olhar.

Ele não se importa se o seu pedido é acompanhado por batatas fritas ou que ela derrube ketchup na roupa, ele aproveita para se aproximar passando o guardanapo. Quanto a sobremesa? Ela não precisa recusar, só ter paciência porque ele prefere a torta de chocolate ao cheesecake de morango que ele havia pedido.

No final da noite, ele a leva para casa, acompanha até a porta, mas nada de beijos. A garota sobre as escadas e quando entra no quarto percebe que tem uma mensagem no seu celular. “Vá até a janela”

Ela corre para a janela e o garoto está lá em baixo, acenando para que ela desça. Eles se encontram no jardim e sem esperar uma palavra, o beijo acontece.  O clássico momento das pontadas no estômago, das pernas trêmulas, o aviso de que milhares de borboletas acabaram de chegar.

Então você torce por esse casal. Não porque você ainda tem dúvidas de que eles irão terminar juntos, mas porque ele te lembra alguém que está do seu lado e aquela garota é bem parecida com você.

Mas levando em conta que o filme dura menos que duas horas, acho melhor um encontro de uma série com várias temporadas. Assim a gente aproveita e coloca uma pitada de drama, até porque o que é o amor sem alguns exageros e um desencontros no meio do caminho.

Meus romances preferidos

Começo de junho, mês dos namorados e muito amor pelo ar. Então vamos falar sobre filmes românticos! Já que eu gosto de falar muito, separei três dos meus filmes românticos preferidos e além das dicas dos filmes, aproveitei a deixa para falar sobre o que eu levei deles comigo.

large (2)

 

Três vezes amor é o exemplo de filme que eu demorei muito tempo para assistir e quando vi nunca mais soube me perdoar por ter perdido tanto tempo. Ryan Reynolds é Will Hayes, um assessor político divorciado, que vive em Manhattan com sua filha Maya que quer a todo custo saber como os pais se conheceram e se apaixonaram. Percebendo que não vai escapar, ele decidi contar a história de três dos seus relacionamentos passados, dando detalhes de cada uma das mulheres sem falar o nome delas para que a filha adivinhe qual das três é sua mãe. (Nós sempre temos a chance de recomeçar. Você não precisa enterrar o seu passado, existem momentos que um reencontro pode ser o amor que está batendo na sua porta outra vez pra viver tudo o que foi interrompido uma vez)

Não dava para deixar as histórias do Nicholas Sparks de fora, já que são maravilhosas de lindas. Foi difícil escolher apenas uma, mas tá, escolhi Diário de uma Paixão também conhecido por aquele filme que você vai chorar tudo o que nunca chorou na vida inteira sempre que ele passar na TV, então quando for preparar a pipoca, já pega alguns lenços juntos. A história é narrada a partir do dia de hoje por um homem idoso contando o conto a uma colega residente do lar de idosos. Esse conto é sobre Allie e Noah (os atores Rachel McAdams e Ryan Gosling namoraram um bom tempo depois do filme, quem mais ama casais da ficção que viram reais? <3 ), um jovem casal que não possuem nada em comum mas que se apaixonam em um verão, após o Noah praticamente se pendurar na roda gigante e falar que só desceria quando ela aceitar sair com ele. (O amor não é algo que nós encontramos no dicionário, ele vai ser sempre maior do que tudo o que imaginamos que deva ser. Vocês são diferentes, pensam diferentes e possuem gostos diferentes. Não vai ser fácil, ninguém nunca disse que seria não é mesmo? Do mesmo jeito que terão momentos bons, terão momentos difíceis e outros piores ainda. Mas no final da tarde quando você sorrir e ganhar sorriso em troca, você vai perceber que está tudo bem, vocês passam por cima de qualquer obstáculo, até porque você faria de tudo por ela)

Eu assisti esse filme no cinema com umas amigas e fui a única pessoa que saiu chorando aos prantos do cinema, teve até um casal que ficou me olhando do tipo: que pessoa louca, o que deu nela? Oh o filme não é de chorar como o último não, mas eu tenho o coração mais mole do que uma manteiga derretida e eu achei tão fofa a história que não me aguentei. A Sophie viaja com o noivo para Verona, cidade da história Romeu e Julieta, para uma pré lua-de-mel. Andando pela cidade ela descobre um lugar onde as pessoas deixam cartas amorosas pedindo ajuda a Julieta e começa a ajudar as voluntárias que respondem essas cartas, entre elas, uma carta escrita em 1957 de uma senhora chamada Claire. Depois de uns dias, Sophie recebe a visita de Charlie, neto de Claire, contando que a avó foi até a Itália para seguir o seu conselho e procurar Lorenzo, seu verdadeiro amor. Imagina começar do nada a procura do seu amor da juventude? E eu não vou falar mais porque sou ótima para deixar escapar spoilers. (” ‘E’ e ‘se’ são palavras que, por si, não apresentam nenhuma ameaça. Mas, se colocadas juntas, lado a lado, elas têm o poder de nos assombrar a vida toda”. Se você nunca tentar, vai ficar a vida inteira remoendo pensando em como teria sido. Tenha coragem, vale a pena arriscar e até percorrer o mundo se for preciso. O amor não tem data de validade)

 

Ah! O amor também prega peças na gente, aparece quando quer e onde bem entender. Então não feche os olhos, muitas vezes nós não enxergamos aquilo que está a baixo do nosso nariz ou escondido em suspiro bobo hein?

Desculpe se ficou grande. Prepara a pipoca, a boa companhia e pegue uns lenços extras. Bom filme pra vocês <3

 

 

Nós dois

large

Posso fechar os olhos e fazer um pedido para essa noite? Queria nós dois sozinhos aqui nesse apartamento.

Podemos jogar almofadas no chão da sala, pedir alguma comida ou cozinhar algo. Tudo bem, pode rir da minha sugestão, mas você sabe que eu ando me esforçando para melhorar o meu cardápio restrito de pipoca e bolo de cenoura. Você também não pode negar que o meu bolo é o melhor que você já experimentou em todos esses anos. Tenho até provas se tentar dizer o contrário.

Ah! Não esquece seu violão. Você pode cantar aquela antiga canção de sempre? A mesma que aproximou o meu coração para bem perto do seu.

Sabe, eu poderia passar a vida inteira vendo você tocar e me esforçaria para ficar com os olhos bem abertos para gravar cada detalhe desse momento. Mesmo se fosse no meio da noite e eu já estivesse caindo de sono e preocupada porque teríamos que acordar bem cedo no outro dia.

Não tivemos a sorte da nossa vida ser só assim, entre as nossas quatro paredes. A culpa foi minha por gastar todo o estoque que tínhamos naquela tarde quando nos esbarramos no café da esquina.Tudo bem, eu esbarrei.

Como sempre o meu jeito desastrado. Derrubei todo o meu café na sua camiseta azul, que mais tarde você confessou ser a sua preferida. “Ela me trouxe você” era o que você repetia sempre que alguém perguntava como nós dois nos conhecemos. Mesmo que isso não fizesse o menor sentido.

“Você quer subir? Meu amigo deve ter algo para te emprestar, eu moro no prédio no quarteirão da frente”. Foi o que eu disse após pedir desculpas de todos os modos possíveis que alguém pode se desculpar. Essa sempre foi a sua parte preferida da história, ela dava a abertura que você queria para falar “foi aí que eu soube o quanto ela me queria”. Você e o seu jeito abusado de sempre.

Você subiu aquele dia, passou por aquela porta e desde então faz esse caminho todos os dias.

“É que eu prefiro você aqui, bem juntinho de mim, onde eu possa ver esse seu sorriso logo pela manhã quando eu acordar”. Você sempre com essas histórias de levar nosso “relacionamento” para algo mais sério, com esse seu jeitinho difícil de me fazer conseguir recusar qualquer pedido seu.

Só de ver você assim, a vontade é de largar tudo e te acompanhar para onde você for.

Queria que soubesse que você pode ficar tranquilo. Apesar do meu jeito confuso, eu sempre vou preferir você aqui, bem juntinho de mim, sussurrando logo pela manhã todas as suas teorias do nosso amor. Mas, nós podemos resolver isso amanhã, não podemos? Para que a pressa de viver tudo agora se nós temos uma vida inteira pela frente.

Hoje queria que tudo ficasse assim, no nosso mundinho. Só nós dois, o seu violão e a aquela nossa velha canção.